All Posts By

Carol

#Dicas da Nutri

#Dicas da Nutri

VOCÊ SABIA QUE A BETERRABA PODE AUXILIAR NO SEU TREINO AUMENTANDO A PERFORMANCE?

A beterraba é um alimento rico em nutrientes, como carboidratos complexos, fibras, vitamina A, vitaminas do complexo B, potássio, fósforo, zinco, ferro, cálcio entre outros.
Ela é rica em nitrato que, no organismo, é um dos precursores do óxido nítrico, substância que promove vasodilatação, ou seja, aumenta o calibre dos nossos vasos, levando mais nutrientes e oxigênio aos músculos.
Essa vasodilatação é interessante na prática de exercícios físicos, pois otimiza a utilização do oxigênio, auxiliando na melhora do desempenho durante os treinos. E os benefícios não param por aí: com maior perfusão sanguínea, os nutrientes distribuem-se de forma mais eficaz para todo o corpo, colaborando para uma recuperação muscular mais eficiente.
E não só atletas se beneficiam com o consumo de beterraba, ela também é importante para o controle da pressão arterial, previnindo a hipertensão e as doenças cardiovasculares.

Entre outros benefícios, é rica em betacaroteno, que atua no sistema imunológico e auxilia na proteção do organismo, além de exercer ação antioxidante que combate os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular.
Contém betaína, que em atletas reduz a fadiga e colabora para o aumento da força muscular, além de reduzir a ação inflamatória, o que é muito importante para pessoas que praticam exercícios muito intensos ou de longa duração levam a uma geração ainda maior de radicais livres e, vem daí, a importância do consumo de antioxidantes e agentes anti-inflamatórios.

O ideal é que a beterraba seja consumida crua. É possível utilizá-la tanto no pré-treino, como fonte de energia e vasodilatadora, como no pós-treino, para melhorar a recuperação.

Nutri Marcely Etchichury

#Dicas da Nutri

#DICAS DA NUTRI

Hoje a nutri vai dar uma dica para os amantes de pizza 🍕 comerem com muito mais saúde. Receita de pizza caseira sem conservantes e sem glúten.

Pizza Vegana Glúten free!

Massa
Ingredientes:

– 1 colher de sopa de fermento biológico seco

– 3/4 de xícara de farinha de arroz integral

– 2/3 de xícara de polvilho azedo

– 3 colheres das de chá de goma xantana ou gomar guar

– 1 colher das de chá de sal rosa do himalaia

– 1 colher das de chá de açúcar de coco

– 1 e 1/2 colher de chá de agar agar

– 3/4 de xícara de água morna

– Molho de tomate caseiro sem sódio para cobertura e outros ingredientes a gosto.

Modo de fazer:

1º Pré-aqueça o forno a 180º C.

2º Unte uma forma redonda para pizza com 30 cm de diâmetro com óleo de coco e enfarinhe.

3º Em uma vasilha média misture todos os ingredientes secos. Adicione a água morna e bata com a batedeira em velocidade máxima por 3 minutos.

4º Transfira a massa para a forma untada, polvilhe farinha de arroz por cima e vá abrindo a massa na forma com as mãos, polvilhando mais farinha de arroz para não grudar nos dedos. Deixe a borda mais grossa.

5º Leve ao forno pré-aquecido e asse-a por 15 minutos. Enquanto isso prepare a cobertura. Retire a massa do forno e rapidamente espalhe a cobertura de seu gosto. Retorne ao forno e asse por mais 20 minutos.
Você ainda pode transfirar a massa para uma grade específica de pizzas e assá-la por mais 5 minutos para deixá-la mais crocante.

Sugestões de cobertura:
Tomate, Cebola, Pimentão, Manjericão, Rúcula, Orégano, Queijo Vegano, Palmito, Ervilha, Milho, Alho torrado.

SNAPCHAT @nutrimarcely
Instagram: @nutrimarcely
Twitter: @nutrimarcely
Facebook: Nutricionista Marcely Etchichury

#Dicas da Nutri

#DICAS DA NUTRI – Ômega 3

Ômega 3

Os benefícios do ômega 3 para a saúde!

A cada dia as pesquisas demonstram o quanto nosso corpo depende do ômega 3 para manter-se em equilíbrio, saudável e evitar os males comuns que chegam com o avanço da idade. A sua importância é muito abrangente pois vários órgãos e estruturas dependem da sua presença. Comprovadamente existem benefícios que o Ômega 3 proporciona na saúde do coração, cérebro, imunidade, gravidez e lactação, na infância, em idosos e praticantes de atividade física. Ou seja, todas as pessoas de todas as idades se beneficiam de suas propriedades.

O ômega-3 contribui para a manutenção dos níveis de colesterol bom e da pressão arterial e ainda atua na prevenção da aterosclerose, que é o depósito de gordura ruim nas artérias, promovendo a saúde dos vasos sanguíneos. Além disso, ainda auxiliam no combate de processos inflamatórios e esse é o seu principal papel. Qualquer processo inflamatório dentro dos vasos é o primeiro passo para o acúmulo de gorduras que progredirá para a formação das placas que são a causa dos maiores problemas cardiovasculares.

Participa do desenvolvimento do cérebro, desde a fecundação do óvulo até principalmente os 5 anos de idade. Tem papel fundamental na estrutura de comunicação entre as células nervosas, tornando esse processo mais rápido, eficiente e impactando na memória, foco, aprendizagem e concentração. Além disso tudo, ainda protege as células do cérebro contra os danos do stress oxidativo. A “capinha” que reveste cada neurônio tem como ingrediente o ômega 3, imaginem o quanto é importante que esse neurônio tenha uma boa proteção ao longo da vida, quanto mais protegido mais eficiente será a passagem do estímulo nervoso: mais criatividade, concentração, inteligência e o contrário, ou seja, a perda natural desta proteção é uma das causas das doenças degenerativas de sistema nervosos como o Mal de Alzheimer e Doença de Parkinson.

A proporção de ácidos graxos essenciais que uma pessoa consome afeta diretamente sua saúde e a resposta do seu sistema imune. Alguns estudos evidenciam que o ômega-3 auxilia naturalmente a regular a resposta imune e fornece suporte aos sistemas de reparos internos, que atuam no nosso organismo, frente a stress e lesões.

Durante exercícios de alta intensidade, a demanda sobre o sistema circulatório aumenta consideravelmente. Isso se dá por conta da necessidade maior de oxigênio e nutrientes nos músculos, pulmões e cérebro. O ômega-3 exerce papel importante no suporte a função pulmonar, promovendo o transporte de oxigênio para os órgãos alvos, na recuperação da frequência cardíaca apos esforço, do stress físico nessas situações, além de exercer importante efeito antiinflamatório.

Moda

Milão Fashion Week 2016

Nada como fashion week  para renovar nosso olhar para as tendências mundias. Para quem está por dentro as passarelas já estão apostando no ready-to-wear.

A semana de moda de Milão foi do ousado ao tradicional com toque moderno. Para mostrar algo mais geral fiz um mashup do que mais achei interessante.

Começando pelos casacos de pele que não combinam nada com o inverno do Rio de Janeiro mas para quem vai viajar para um lugar frio por que não?! Eu sou fã das peles e dão sempre um toque super especial  no visual e é o tipo de casaco(ou parca ou todos os diversos modelos) que tem para todos os gostos.

A Versace sempre ousada apostou em algo bem colorido mas um colorido equilibrado. O detalhe preto no pescoço tem um toque de exuberância ao modelo. A Gucci também aproveitou a ideia de dar cor e escolheu o rosa para seu casado. Ficou tão Barbie!!! Para manter o estilo Barbie contou com luvas, meias e bolsa rosa.  Sem perder o romantismo mas apostando em algo mais discreto o casaco de pele branco por Lorenzo Serafino da Philosophy mostrou toda elegância que um casaco de pele pode ter.  E não poderíamos esquecer do modelo mais básico se é que isso pode ser dito. Para quem não gosta de exageros a pele só no pescoço pode ser uma opção. O casaco Bottega Veneta consegue juntar todos estes elementos: pele, elegância, modernidade e sobriedade.

Os terninhos também tiveram seu glamour na semana de moda em Milão. Eu adoro terninho, estão cada vez mais ousados e perdendo a cara de escritório. Aquiliano Rimondi apostou no terninho clássico com detalhe brilhoso na blusa branca contrastando com o off white do terninho.  Gucci deixou seu modelo mais mderno com decote e detalhes preto não deixando de lado o famoso black and white. Bottwga Venneta foi o que se manteve nos padrões mais tradicionais da mulher que trabalha e usa modelos clássicos mas com seu charme de fashion week.

 

E os vestidos vieram com força total com tênis ou salto tiveram seu estilo evidente na semana de moda em Milão. Ports 1961 apostou na transparência com uma pegada mais red carpet e um tênis para quebrar toda formalidade. Mantendo o tênis branco seguiu a tendência do vestido assimétrico conversando um pouco com a passarela da Versace. E para as mulheres mais clássicas Bottega Veneta manteve o vestido abaixo dos joelhos, o salto e a estola.

Essas são algumas tendências que podemos usar no nosso inverno ou para viagens. O que achei mais legal foi o tênis na combinação dos looks.

 

#DICAS POR RAPHAEL RANGEL

#DICAS POR RAPHAEL RANGEL

Bom, uma coisa que não falta nas gavetas são as meias e a muito tempo a cor predominante desse item é a cor branca, porém temos visto pelas ruas ou na internet muita gente usando a meia de cor preta a mostra, é de bermuda mesmo, coisa que a 3 anos atrás seria meio incomum, né ?! RS

Essa tendência das meias está cada vez conquistando mais adeptos e combinando belas formações com as roupas usadas. É um tendência que veio dos EUA mais especificamente do Central Park, em Nova York, com um grupo de profissionais do mercado financeiro que adotou o acessório nas corridas matinais. “Assim como a alça do sutiã e o bolso do short jeans, aparentes, alguém improvisa, outro acha bonito, e quando você se dá conta está todo mundo usando”, conta o pesquisador Marco Sabino, autor do livro Dicionário da Moda. Se um famoso resolver adotar um traje, por mais bizarro que seja, as chances da tendência ser copiada tornam-se ainda maiores. Neste caso, o pontapé partiu do estilista americano Marc Jacobs, que combinou as meias com sapato social e posou para fotógrafos de todo o mundo num grande evento.

Então vamos comprar mais meias pretas e de outras cores também e ousar nas composições.

#Dicas da Nutri, Uncategorized

#DICAS DA NUTRI

CARNE VERMELHA X CÂNCER

BIFE NA BRASA

Atualmente, pesquisas já mostram que uma dieta inadequada está entre os fatores que provocam o câncer em vários locais do corpo. Entre eles, o câncer de esôfago, de estômago, do reto, da próstata, da mama e do cólon (intestino grosso). De uma maneira geral, um terço de todos os cânceres são causados por hábitos alimentares inadequados. Se a alimentação for pobre em fibras, pior ainda. As fibras, por serem originadas de células vegetais, colaboram para o bom funcionamento do intestino, ajudam a reduzir os riscos de se ter um câncer e até mesmo a emagrecer. Os carboidratos, se ingeridos exageradamente, se transformarão em glicose que estimulará a produção excessiva de insulina. Esse processo também pode incentivar o aparecimento de tumores gástricos.

Engana-se quem pensa que a linguiça, a carne assada, principalmente com gorduras, e o lombo defumado só trazem problemas do coração ou dos vasos sanguíneos, além de engordar. As carnes assadas em brasa ou defumadas, se ingeridas em quantidade excessiva durante a vida, podem causar até o câncer. Tudo isso porque elas podem conter uma substância chamada amina heterocíclica. Essa substância tem a capacidade, depois de absorvida pelo intestino, de entrar no interior das células sadias e prejudicá-las a ponto de gerar um câncer. Então, o melhor caminho para o bem estar é ter hábitos alimentares saudáveis e não exagerar no consumo de carnes assadas e carboidratos.

No caso das carnes feitas em churrasqueiras, essa substância é produzida pelo calor da brasa que forma aquela parte preta, bem assada e crocante. O problema dos alimentos que passam pelo processo de defumação é que eles ficam impregnados pelo alcatrão aquela mesma substância que é responsável pelo sabor do cigarro e está normalmente ligada a doenças como o câncer e o enfisema pulmonar. E as gorduras, que mais atraem a atenção dos viciados em churrasco, se consumidas excessivamente, podem provocar dificuldade na digestão e forçar o fígado e o estômago a estimularem a produção exagerada de ácido para digeri-las. Esse ácido pode corroer as paredes do estômago e do intestino e também provocar o aparecimento de tumores malignos.

Muitos estudos científicos relacionam o consumo de carne de churrasco e câncer de estômago. É muito importante salientarmos que estas doenças aparecem ao longo de nossas vidas e que a soma da má alimentação, sedentarismo, estresse faz com que haja o aparecimento destas doenças. Outro malefício bastante comum é o aumento de dor de estômago causado pela dificuldade de digestão que estas carnes provocam. Esta má digestão pode causar lesões na parede do estômago e menor absorção de vitaminas e minerais importantes.

Vários estudos epidemiológicos mostraram associações entre pessoas que consomem enormes quantidades de carne frita ou churrasco e os que sofrem de câncer no cólon, pâncreas, próstata e outros órgãos. Pessoas que comem bifes entre o ponto médio e o bem passado, por exemplo, se mostraram três vezes mais propensas a desenvolver câncer de estômago do que os que preferiam seus bifes mal passados. Em outro estudo, homens que ingeriam dez gramas diários de carne bem passada – bacon crocante, salsichas, bifes, carne de porco ou hambúrgueres – apresentavam um risco de câncer de próstata 40% mais alto.

A fumaça do churrasco pode provocar câncer de boca. Esse é o resultado alarmante de uma pesquisa científica desenvolvida por um dos mais conceituados oncologistas do país, o professor Luiz Paulo Kowalski, diretor do departamento de cirurgia de cabeça e pescoço do Hospital de Câncer A.C. Camargo, de São Paulo, professor da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e uma das maiores autoridades mundiais em câncer de boca, com várias publicações no Exterior.

O estudo revelou que pessoas que comem churrasco ou carne grelhada mais de três vezes por semana têm de cinco a sete vezes mais possibilidade de desenvolver o câncer de boca. O problema está na fumaça do carvão para grelhar o churrasco, afirma o oncologista. A fumaça contém agentes causadores de câncer que ficam impregnados na carne e, em contato direto com a boca, podem provocar a doença.

Nosso intestino é um intestino curto assim como dos animais herbívoros, portanto, o consumo de carne é muito lento, por ter que passar por todas as nossas alças intestinais, aumentando a proliferação bacteriana e nos causando muitos problemas. Cuidado com o excesso! Para você um bifinho de 100g todos os dias é inofensivo?  O consumo de carne vermelha a cima de 500 gramas por semana é prejudicial a saúde e pode causar câncer. O problema é que a população consome muito mais do que 500 gramas por semana. Se você come 100 gramas de carne vermelha no almoço sete dias da semana, você está consumindo 700 gramas, isso porque nem contei a carne do jantar e dos churrascos ou churrascaria no final de semana.